Matisse - Lady on the terrace (1906)

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Declaração Universal dos Direitos do Animal


Existe muito a se dizer sobre o respeito mútuo entre todas as espécies vivas neste planeta, embora muito já se tenha dito. Pensei nisto e decidi escrever lembrando da pergunta que minha irmã de 12 anos me fez: "É verdade que tu acha que as pedras têm vida?" Eu lhe expliquei então, que em minha concepção de universo, onde tudo é constituído por átomos, com um equilíbrio perfeito, evoluindo e se modificando constantemente, sim, tudo é vivo, vibra, possui muita energia e, portanto, deve ser respeitado. Certa vez riram quando eu comentei ser vegetariana com um velho deboche bem infantil: "...e as alfaces tu come? Elas devem ter vida também?" Sim, de fato, tudo no universo é vivo, a diferença entre as plantas, os minerais e os animais é que ao contrário destes, as plantas e pedras não possuem um corpo mental, ou seja, não sofrem, não têm consciência de si mesmos, não sentem dor - o que não significa que possamos destruí-los, e sim preservá-los porque eles têm outras funções no planeta, igualmente importantes. A questão do trato com os animais é bastante controversa, sempre foi. O homem adora seu cachorro, seu gato, mas mata o boi e a galinha para comer como se fossem outro tipo de animais, quando na verdade não são. Dê amor a uma galinha e ela retribuirá...não, não estou louca, eu mesma tenho uma galinha de estimação, e conheço outras pessoas que têm. Todos os animais amam!! Amam seus donos, amam seus filhotes, amam comer e dormir...só não sabem dizer, ou melhor, nós não somos capazes de escutar. Pensando nesta longa discussão que é tão essencial para a evolução da raça humana, espiritualmente falando, eu divulgo este artigo do site http://direitosdosanimais.com, que é a Declaração dos Direitos dos Animais, proclamada no dia 15 de Outubro de 1978, na Casa da UNESCO em Paris. O texto foi revisto pela Liga Internacional dos Direitos do Animal em 1989, e tornado público em 1990. Espero que todos possam ler e tentar entender que não existem, ou não deveriam existir diferenças entre os seres criados pela Consciência Suprema!
Namaskar!


Preâmbulo Considerando que a Vida é uma, todos os seres vivos que têm uma origem comum e são diferenciados durante a evolução das espécies. Considerando que qualquer ser vivo possui direitos naturais e que qualquer animal é dotado de um sistema nervoso possui direitos específicos. Considerando que o despeito, ou mesmo a simples ignorância destes direitos naturais provocam graves infracções à Natureza e conduzem o homem cometer a crimes para com os animais. Considerando que a coexistência das espécies no mundo implica o reconhecimento pela espécie humana do direito à existência das outras espécies animais. Considerando que o respeito dos animais pelo homem é inseparável do respeito dos homens entre si.
É proclamado o que segue:

Artigo primeiro: Todos os animais têm direitos iguais à existência no âmbito dos equilíbrios biológicos. Esta igualdade não oculta a diversidade das espécies e os indivíduos.

Artigo 2: Qualquer vida animal tem direito ao respeito.

Artigo 3: Nenhum animal deve sujeito a maus tratos ou actos cruéis. Se a morte do animal é um mal necessário, deve ser instantâneo, indolore e não gerador de angústia. O animal morto deve ser tratado com decência.

Artigo 4: O animal selvagem tem o direito de viver livre no seu meio natural, e de se lá reproduzir. A privação prolongada da sua liberdade, a caça e a pesca de lazer, bem como qualquer utilização do animal selvagem com outros fins que não sejam vitais, são contrários a este direito.

Artigo 5: O animal que o homem tem sob a sua dependência tem direito a cuidados atentos. Não deve em caso algum ser abandonado, ou morto de maneira injustificada. Todas as formas de criação e de utilização do animal deve respeitar a fisiologia e o comportamento da espécie. As exposições, os espectáculos, os filmes que utilizam animais devem também respeitar a sua dignidade e não comportar nenhuma violência.

Artigo 6: As experiancias com um animal implicando um sofrimento físico ou psicológico viola os direitos do animal. Os métodos de substituição devem ser desenvolvido e sistematicamente levados a efeito.

Artigo 7: Qualquer acto que implica sem necessidade a morte de um animal e qualquer decisão que conduz tal acto constituem um crime contra a vida.

Artigo 8: Qualquer acto que compromete a sobrevivência de uma espécie selvagem, e qualquer decisão que conduz tal acto constituem um genocídio, e deve ser considerado um crime contra a espécie. O massacre dos animais selvagens, a poluição e a destruição dos biótopos são genocídios.

Artigo 9: A personalidade jurídica do animal e os seus direitos devem ser reconhecidos pela lei. A defesa e a salvaguarda do animal deve ter representantes nos organismos governamentais.

Artigo 10: A educação e instrução pública deve conduzir o homem, a partir da sua infância, observar, compreender, e respeitar os animais.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Dia Mundial de Luta contra a Aids


Mais um dia contra o preconceito!! Dia de repensar algumas atitudes, algum comportamento ...e principalmente, dia de se conscientizar que não existem mais grupos de risco, o risco é de todos que não usam preservativo.


Rashmi.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Educação??


Recebi por mail este pequeno texto e achei tão cabível divulgar...bom para pais, educadores, avós...bom para todos...está mais que na hora de discutir a educação dentro e fora da escola, e repensar certos valores tão importantes que foram jogados fora por ambos ao longo das últimas décadas, afinal, a grande herança que realmente deixamos para o mundo são os nossos filhos, mas enfim, para bom entendedor, meia palavra basta!! A propósito, a charge é ótima não é mesmo??

Essa pergunta foi a vencedora em um congresso sobre vida sustentável: "Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"
Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro de casa e recebe o exemplo vindo de seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos, inclusive em respeitar o planeta onde vive...o papel da escola é passar o conhecimento e não a educação.


Namaskar!



domingo, 13 de setembro de 2009

Procure a lua no céu...



Ao fazermos  o Evangelho hoje, em casa, falamos sobre o fato de Jesus dizer muitas coisas através de parábolas. Esta foi a forma que ele escolheu para deixar suas mensagens porque nem todos na época estavam preparados para entender seus ensinamentos...enfim, este assunto rendeu por aqui, afinal, o homem atravessou a história se perguntando de onde vem, para onde vai, quem é ou o que é Deus, qual o significado do universo....e por aí foi, sempre se perguntando sobre coisas que estão tão claras mas que ele não compreende. O ser humano tem a tendência, eu até diria saudável, de ser curioso, o que lhe fez evoluir, certo? Mas o limite da sua curiosidade o leva, muitas vezes por caminhos tão distantes da realidade que é a espiritualidade, enquanto ele a busca enlouquecidamente. É comum ver e ouvir pessoas contando que já participaram de diversas religiões, seitas, palestras, ou compraram livros de qualquer um que pense saber algo novo, etc, buscando Deus, buscando respostas, tentando decifrar este enigma que é a vida ou a morte. Qual das duas é real?? Cada um tem sua própria resposta de acordo com o que acredita, ou não acredita, e não são poucos os enganados neste percurso. O fato é que ao buscar Deus e tentar decifrá-lo, o homem esqueceu de aceitá-lo. Não basta a compreensão dos mistérios que envolvem a criação, a estrutura que mantém o universo em sua ordem absolutamente perfeita. Não basta buscar algo em que não se acredita ou não se sente. Buscar Deus é antes de mais nada sentí-lo e aceitá-lo. É saber que Ele é tudo porque criou tudo. As respostas virão na hora certa, talvez quando nossos espíritos estiverem mais evoluídos, quando estivermos realmente prontos para entender coisas que hoje só nos confundiriam, quando estivermos prontos para amar a Ele e não aos "sacerdotes" humanos que tanto falam em Seu nome. Ele sabe a hora, Ele sabe quando. Buda disse algo muito bom para se pensar: " Não mergulhe o intelecto nas profundezas do insondável. Aquele que questiona erra. Aquele que responde erra."  A Bem-Aventurança, a Consciência Suprema, a Paz, Deus são apenas palavras, se deseja mesmo entender seu significado precisará vivenciá-lo. Como dizem os iogues: "Procure a verdade na meditação, não em livros. Olhe para o céu para ver a lua e não para o lago!"

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Ética Yogue I: Manter-se em equilíbrio na dinâmica da vida


No inconstante e dinâmico fluxo da vida, novas situações e circunstâncias nos levam a tomar decisões que melhor se ajustam ao curso de nossa ação. No entanto, essas decisões trazem consigo um dilema: o que é ou não adequado de se fazer de acordo com cada situação e de acordo com cada indivíduo? Complicado. Pessoas com culturas diferentes, em lugares ou épocas diferentes podem ter idéias distintas a respeito do que é certo e errado porque tomam suas decisões baseadas em seus valores. Para tanto, a ética yogue ajuda a superar tais dilemas fornecendo uma estrutura viável para a harmonia mental e a expansão da consciência.

Yama: literalmente significa “controle”, é constituido de cinco partes que orientam nossa relação com a sociedade e com o mundo objetivo. Yama enfatiza nossas responsabilidades para com os outros seres, e também expressa a idéia de que cada ser vivo é parte integrante da Consciência Infinita, de que todas as entidades são partes de uma mesma família.

Nyama: significa auto-controle e também é constituido de cinco partes, as quais mostram como preservar o equilíbrio mental e a harmonia pessoal. Para o aspirante espiritual, Yama e Nyama são os fundamentos da meditação.

YAMA
Ahimsa: não-violência física, psíquica e espiritual, seja com palavreas, ação ou pensamento; não
levar dor ao outro, mas tirá-la dele; não comer carne;
Sathya: não manipular as palavras, não mentir, mentir com a mente bem intencionada (salvar a vida de alguém), não falar a verdade com más intenções;
Asteya: não roubar, nem em pensamento;
Brahmacarya: andar com o penamento sempre em Brahma, ligado com Ele que é a Consciência Suprema, cada ação é a Consciênia Suprema;
Aparigraha: não acumular bens desnecessários.

NYAMA
Shaoca:
limpeza interna (limpar a mente de pensamentos impuros), limpeza externa (banho, casa);
Santosa: satisfação com o que se tem, aceitação do que se tem na vida;
Tapah: serviço, trabalhar para chegar ao destino, fazer serviço social, a mente tem que estar pronta para a luta, mesmo com críticas, mesmo com sacrifício pessoal, a luta é necessária;
Svadhyaya: estudar a filosofia de Bábá (para os Marguis) todos os dias, estudar os textos religiosos em que acredita, auto-conhecimento;
Iishvara Pranidhana: atração pela Consciência Suprema. Mente fixa Nele, se movimentando na direção Dele, fixa em Deus, com concentração.
(Shrii Shrii Ánandamúrti - Bábá: A Liberação da Mente através do Tantra Yoga)

Namaskar!

domingo, 23 de agosto de 2009

Salve o Dia do Folclore!!!


Ê dia bom esse 22 de agosto!!! Tem tanto dia que não serve pra nada, o que não é o caso deste, que devia ser feriado nacional. Uma data bacana de ser comemorada por todos os brasileiros que cultivam suas lendas, suas histórias, sua regionalidade. São tantas festas, santos, personagens misteriosos que povoam o imaginário popular, e tanta alegria, que parece que este dia tem muito mais significado aqui que em qualquer outro país do mundo. Taí, quando eu menos espero me pego com um sentimento de brasilidade, e mais, um sentimento gaúcho, que aflora quando recordo as histórias do Simões Lopes Neto. Então, salve a cultura brasileira, salve a cultura gaúcha, salve este povo que se manifesta de forma tão singela e brejeira, salve a alegria de uma gente que vive a sonhar, salve as lendas que são contadas de pai pra filho, salve o nosso tão querido folclore!!



Imagem: google imagens

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Discursos Espirituais - Evolução em Direção à Perfeição II


"Logo, ao progredir-se no caminho do desenvolvimento mental, vemos na humanidade sua maior manifestação. Assim como a evolução passa do sutil para o grosseiro, similarmente a entidade unitária retorna, passo a passo, do grosseiro para o sutil, em direção à mesma Consciência Absoluta a partir da qual ela veio, como ondas do mar, ondulando de volta de onde surgiram."

Shrii Shrii Ánandamúrti - Bábá

(Subhásíta Samgraha II)

Namaskar!!


Foto: www.babooforum.com.br





Hoje é o Dia Mundial da Fotografia - um belo dia...

Oh dia bacana!! Vou aproveitar para mostrar algumas de minhas fotografias em homenagem a todos os profissionais que se dedicam a esta arte maravilhosa que informa, emociona e alimenta meu espírito!!!
Namaskar a todos.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

64 anos da bomba de Hiroshima - lamentável realidade...

Não é um dia para se comemorar, mas para lembrar o quanto seres humanos foram capazes de levar destruição a outros seres humanos, e quem sabe nunca mais desejar algo sequer parecido! Infelizmente continuamos a presenciar cenas de violência diariamente, despejadas via internet ou tv, em todos os cantos do mundo. Parece que pouco se aprendeu desde aquele trágico dia, quando milhares de vidas foram destruídas em nome do poder...poder de quê??? Cresci acreditando que meus filhos não viveriam o que minha geração viveu, mas ao contrário do que imaginei, há guerras em diversos lugares, estúpidas e bem planejadas por grandes "homens de negócios", que tomam chá enquanto decidem que pequeno país invadir e explorar, a que preço, não importa. Ainda existem campos de refugiados que nada se diferenciam de campos de concentração, ainda existe trabalho escravo, exploração infantil, terroristas comprometidos com seu próprio desejo de dominação política e ideológica, usando o povo ingênuo para fins suicidas e homicidas, e pior, falando em nome de Deus. Este pode sim ser um grande dia, se pensarmos em como modificar a realidade para que nunca mais tenhamos que passar por uma guerra novamente, para que a PAZ seja definitivamente estabelecida em nossos corações e devidamente representada em nossos atos. Façamos deste dia uma data especial para se comemorar a tolerância e o respeito a cada um de nossos irmãos, um dia que nunca deve ser esquecido, pelo bem maior de toda a humanidade!

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Hoje é o Dia Nacional da saúde: que grande piada!!


Olha só, quem diria, o Brasil comemora dia 05 de Agosto, ou seja, hoje, o Dia Nacional da saúde...piada né?? Logo agora em tempos de gripe suína, esse dia parece tão sem propósito! Logo aqui, quando a crise da tal gripe mostrou de forma ainda mais profunda e séria a crise do nosso Sistema Ùnico de.... Saúde, assim como aquele surto de dengue ocorrido ano passado, quando não havia sequer soro para os pacientes contaminados.
As tendas/plantões planejados para atender os doentes ou supostos doentes, evidenciam que o Sus não consegue tratar os contribuintes com dignidade. Há reclamações sobre o não fornecimento do remédio indicado, a menos que a pessoa esteja com o pé na cova, ou seja, provavelmente para não gastar à toa. Tá certo, a gente pode gastar à toa pagando impostos e sustentando uma série de privilégios de burocratas parasitas, mas não recebemos nada em troca...e há quem diga que este é o país do futuro! Sinceramente não gosto deste discurso pessimista e puramente reclamatório, se é que esta palavra existe, mas falar em saúde por aqui é no mínimo vergonhoso, quanto a isso, não há como discordar!! Façamos de conta que acreditamos no novo slogam: Brasil, um país de todos!

domingo, 2 de agosto de 2009

Discursos Espirituais - Evolução em direção à perfeição



"A missão da vida humana é mover-se em direção à perfeição, em direção a Deus. Esse é o dever do indivíduo. Nessa luta, as forças do mal estão fadadas a serem derrotadas. Sempre foi assim, e a história se repetirá. Você não tem o direito de descansar até que tenha cumprido sua missão de ser perfeito, de ser divino, de estabelecer-se na perfeição. O descanso é pecado, uma vez que cessa esse movimento. Não descanse até que você tenha alcançado sua meta."



Bábá Nam Kevalam


Bábá - Shrii Shrii Ánandamúrti. A Graça de Bábá

terça-feira, 21 de julho de 2009

Será que você sabe o que está comendo??


Todo mundo sabe que é importante cuidar da alimentação para ter saúde, e que alimentos naturais e saudáveis contêm tudo de que precisamos para viver, certo? Teoricamente sim, mas há uma série de substâncias e insumos utilizados mesmo em produtos "naturais", afinal, a indústria alimentícia está sempre tentando vender porcarias por preços astronômicos e ainda fazer a gente acreditar que está fazendo um grande negócio. Preste atenção na lista abaixo, eu fiquei passada...ainda bem que sou vegetariana!!!

Alimentos

Albúmen, Albumina (Albumen. Albumin.)
De ovos, leite, músculos, sangue e vários tecidos e fluídos vegetais. Usada em bolos, biscoitos, doces etc. Claras de ovos podem ser utilizados para clarear vinhos.

Alfa-amilase
Enzima bastante utilizada para melhorar o desempenho tecnológico na indústria de panificação, é obtida a partir de cereais, bactérias, fungos e, infelizmente, do pâncreas de porcos.

Almíscar, Almiscareiro (óleo de) (Musk (Oil).)
Secreção seca obtida dolorosamente dos órgãos genitais do cervo almiscareiro, castor, rato silvestre e outros. Gatos selvagens são capturados e mantido em gaiolas em condições horríveis e são chicoteados ao redor dos genitais para produzir o odor. Castores são pegos em armadilhas, cervos são caçados com tiros. Usado como aromatizante. Alternativas: plantas com odor almiscarado.

Ácido Esteárico (Stearic Acid.)
Gordura ( gordura ou sebo ou banha / animal) de vacas e ovelhas, e cães e gatos sacrificados. Na maioria das vezes se refere a uma substância gordurosa tirada do estômago de porcos. Pode provocar irritações. Usado em gomas de mascar, balas... e aromatizantes. Possui diversos derivados, como os estearatos. Alternativas: o ácido esteárico pode ser encontrado em várias gorduras vegetais, como a noz de côco. O estearato também é usado no vinil (como em bancos de carro) e outros plásticos.

Ácido Lático
Existem certamente, muitas formas de se produzir ácido lático. E se a produção for não por síntese química, mas por fermentação biológica, utilizando-se bactérias para produzir o ácido lático. Picles original é uma fermentação de bactérias láticas, que transformam o açúcar dos vegetais em ácido lático. Mas iogurte também é, e nesse caso, o ácido lático é produzido a partir da lactose (que não é o mesmo açúcar que as bactérias "comem" lá no picles). Já sobre o ácido propiônico e os propionatos (de sódio ou de cálcio), não sei como são fabricados. Mas sei que evito comê-los. São fungiostáticos adicionados em pão de forma, para retardar o surgimento do bolor. O agente que inibe os bolores é o íon propiônico. E deve ser mais fácil, talvez, dissociar esse ion do calcio, usando o sal (propionato), do que usando diretamente o ácido. Pelo menos isso é o que transcorre quando se usa sorbato ou benzoato em sucos industrializados, em vez de ácido sórbico ou ácido benzóico.

Ácido Láctico (Lactic Acid.)
Encontrado no sangue e no tecido muscular. Também em soro de leite, cerveja, conservas, e outros alimentos produzidos através da fermentação. Usado como conservante. Alternativas: fontes vegetais, sintético; Atualmente, é produzido, principalmente, a partir de glicose de milho, melaços e soro de queijos. (logo pode ser ou não vegano, consulte o fabricante)

Carmim, Cochonilha e Ácido Carmínico (Carmine. Cochineal. Carminic Acid.)
Pigmento vermelho obtido através da compressão da fêmea do inseto cochonilha. De acordo com o reportado, 70.000 insetos precisam ser mortos para produzir cerca de 450 gramas deste corante vermelho. Usado em biscoitos sabor morango, sorvetes de frutas vermelhas, balas vermelhas etc. Pode causar reação alérgica. Alternativas: suco de beterraba (não possui qualquer toxidade) ou simplesmente: nada. Um corante não acrescenta benefício algum aos alimentos. Obs: Carmim = Lesmas, Cochonilla = insetos (fêmeas)

Caseína, Sódio Caseinado (Casein. Cas einate. Sodium Caseinate.)
Proteína do leite. Pode ser encontrada no tofu, entre outros alimentos. Alternativas: proteína de soja, leite vegetal.

Corantes
Existem três corantes naturais que são largamente utilizados na indústria alimentícia, que são: urucum e o carmim de cochonilha, e ainda o de cúrcuma (origem vegetal), entre alguns outros menos conhecidos e empregados, como o açafrão, os carotenóides, as antocianinas, a clorofila e a hemoglobina (extraída de sangue bovino ou suíno, separada do soro, e utilizada em cereais, molhos, refrigerantes, xaropes...etc...ressaltamos que sempre cabe pesquisar sobre os ingredientes utilizados para a confecção de produtos industrializados, pois só assim você estará seguro da pureza do alimento). O bordeaux S é um corante orgânico sintético, ou seja, não natural, obtido a partir da tinta do alcatrão do carvão. O vermelho 40 é sintetizado quimicamente, portanto, nada de cochonilha nesses casos.

Fontes Naturais ("Natural Sources.")
Pode significar fontes animais ou vegetais. Frequentemente em alimentos naturais isso significa fontes animais, como elastina, gordura, proteína e óleo animais. Alternativas: fontes vegetais

Gelatina, Gel (Gelatin. Gel.)
Proteína obtida de pele, tendões, ligamentos e/ou ossos fervidos com água. De vacas e porcos. Usado como espessante em gelatinas de frutas e pudins. Em doces, marshmallows, bolos e sorvetes. Pode ser utilizada para ajudar no clareamento de vinhos. Alternativas: carragena, álgas (algina, agar-agar, kelp), peticina de frutas, dextrina, goma de algodão, gel de sílica. Os marshmallows originalmente eras feitos da raiz da planta altéia (marshmallow plant).

Geléia Real , Mel, Pólem, Própolis
"Ao contrário do que muitos pensam, a produção de mel também é responsável pela crueldade com animais. Muitos criadores matam as abelhas no inverno para não ter que gastar para protegê-las do frio. Além disso, para inseminar artificialmente as abelhas rainhas, é "tirado" esperma do zangão com o método cruel de esmagar suas cabeças. A decapitação gera um impulso elétrico tão forte que o animal ejacula." - Cozinhando Sem rueldade, pág. 214.

Glicerina, Glicerol
Substância líquida, incolor e xaroposa, que é o princípio doce dos óleos e a base dos corpos gordos conhecidos. Geralmente é produzida a partir da gordura animal. Alternativas: glicerina vegetal e sintética.

Lactose
Açúcar do leite dos mamíferos. Pode ser de origem animal ou conter algo animal: PIX ( Propinato de cálcio) , Albumina , Mono, Di e Triglicerídios , Capsulas Gelatinosas

Produção de Ácido Propiônico
Microrganismos : Propionibacterium
Matérias-primas : fonte de carbono - lactose, sacarose, glicose; fonte de nitrogênio - milhocina, peptona. Tiamina e riboflavina estimula o crescimento das Bactérias Propiônicas.
Processo : glicose -- glicólise --- ácido pirúvico ---- ácido succínico --- descarboxilação --- ácido propiônico.

Propianato de Cálcio
O propionato de cálcio é um sal oriundo do ácido propiônico. Este ácido tem origem natural e é encontrado em pequenas quantidades em diversos alimentos. Entretanto, sua obtenção industrial se dá pela degradação anaeróbica de glicídios por oxidação incompleta, isto é, através da fermentação de microrganismos, principalmente bactérias (comumente do gênero Acetobacter e Lactobacillus), que se utilizam do açúcar do meio como fonte de energia e liberam como resíduo metabólico o ácido propiônico. Não tem efeitos adversos ou restrições dietéticas, ou seja, pode ser consumido por vegetarianos estritos ou não estritos.

(Comentários de Luiz Eduardo Carvalho - Prof. da Faculdade de Farmácia da UFRJ )

Vitamina A ou Retinol
De origem Animal. (sendo Pró-Vitamina A = não tem origem animal).

PETA - People for the Ethical Treatment of Animals


quinta-feira, 18 de junho de 2009

Eu, Casulo


Problemas...quem não os tem? São consequências de se viver esta vida que é um grande aprendizado. Claro que alguns são bem piores que outros e, claro, algumas pessoas têm bem menos problemas que outras, mas também são consequência de comprometimentos de outras vidas e de certas atitudes dessa, enfim, coisas nas quais eu creio, e entendo que nem todos crêem, normal.
Retomando o tema, os problemas servem para que possamos nos conhecer, eles podem ser tão grandes quanto queiramos que eles sejam, ou bem pequenos, caso não nos interessemos por eles. Não importa a forma, o tamanho, o estrago...sempre mexem de alguma forma em nosso mundinho tão impecavelmente estruturado sobre a areia. Basta um ventinho e pronto, vai tudo abaixo. Nós corremos para levantar outra parede até vir outro vento e levar tudo embora outra vez, e outra e mais uma...ad eternum...será?

Parece que sim, mas também parece que depende de como cada pessoa reage, como eu disse antes, depende de como cada um quer que seja. Algumas pessoas reagem fugindo, negando, escondendo tudo para dentro de algum armário trancado a chave, ou numa mala bem velha e com cheiro de mofo. Mas é ilusão, uma hora a mala ou o armário vão ficar cheios e tudo que estava lá escondido vai ter que sair para algum outro lugar. Daí resultam diversos problemas de saúde que podem ser amenos ou graves (câncer, avc, infartos). Imaginem um copo que vai sendo cheio até que transborda...pois então, mais ou menos isso.

Têm ainda aquelas pessoas que fazem drama de tudo, que gritam, tendem a exagerar, andam soltando farpas e faíscas para todo o lado, como se todos fossem culpados por seus problemas, ou por não solucioná-los, uma vez que estas parecem não conseguir fazê-lo. Não sei se por falta de saber lidar com a situação de conflito, ou se por que uma vez resolvida a contenda, elas não terão mais nada do que se queixar e a vida sem queixas e resmungos parece não ter lá muita graça. Quem não conhece alguém assim...Freud explica.

Têm também os mais práticos, como o meu marido fofo, que eu admiro tanto e invejo neste sentido...sabem que têm problemas, discutem, avaliam, estão dispostos a resolver, mas uma vez sendo impossível, esquecem e se voltam para coisas mais importantes. No caso de o problema ter solução, eles partem para ela e voalá...como quem trocou de roupa se livram de qualquer resquício que pudesse lembrar a situação ruim. Parece que no passo seguinte já superaram tudo, e se não os conhecêssemos, iríamos jurar que nada aconteceu, por que são de uma discrição!

Para que divulgar problemas afinal? Guardam o aprendizado, refletem sobre ele, mas não se abalam emocionalmente, ao invés disso seguem adiante, confiantes de terem feito seu melhor. Me lembram aquele ensinamento de Buda: “Se você pode resolver um problema, para que então se preocupar com ele? E se você não pode resolvê-lo, para que se preocupar com ele então?” Mais ou menos assim de novo...

Adoraria me lembrar e seguir este ensinamento em caso de emergência! Mas, e sempre tem um mas, eu sou aquele outro tipo de pessoa...(para quem pensou que eu não me incluiria)...o tipo borboleta. Ninguém entendeu. Não quis dizer que sou o tipo fofinha e colorida...ah, quem me dera, mas como todo o ser humano, e talvez bem mais que alguns, tenho meus dias sombrios e nublados. O que eu realmente quis dizer, é que enquanto alguns simplesmente escondem, outros se desesperam e outros superam sem maiores dificuldades, os borboletas precisam de um tempo razoável para digerir a nova situação.

Eu, por exemplo, enquanto não compreendo por completo o que está acontecendo me fecho para o mundo e me volto para mim, somente para mim. Não consigo manter a mente desligada do problema e nem fazer outra coisa que não seja vivê-lo, até esgotá-lo em todas as suas possibilidades. Não funciono para quase nada, não consigo me dedicar, tampouco resolver quaisquer outras situações que se apresentem. Apenas me volto ao problema e para mim. Divido apenas com os muito amigos e sem perder o bom senso, ainda que esteja arrasada. A partir daí, passo a me reavaliar, a me reorganizar, a me quebrar, peça por peça, incansavelmente, por que cada dor e dificuldade me aniquilam um pedaço e isso faz com que eu precise derrubar o que restou de mim. Às vezes derrubo aos poucos, às vezes abruptamente, sem poder me impedir, mergulhando no meu lugar mais escuro e escondido, retirando de lá todas as minhas fantasias obscuras, as sujeiras, as inconvenientes verdades que de tão afirmadas acabam por se pregar em um canto feio e se recusam a sair, ou a se reformular.

Eu mergulho aos meus infernos, e não pensem que é fácil...não, não é...mas é inevitável. E lá eu me julgo, me condeno, me aceito, me odeio e volto a me amar e fazer as pazes comigo. É neste resgate interno e solitário que eu grito silenciosamente. Como disse, falo com os amigos apenas uma parte do que realmente estou sentindo. Isso caso eu fale. Geralmente, dependendo do caso, nem mesmo comento. É chato um amigo que tem problemas demais não acham? As pessoas se afastam de quem reclama o tempo todo. Por isso é bom ter a medida certa entre pedir ajuda quando não há saída e correr mundo se queixando da sorte. E assim, sozinha com meus botões eu vou aos pouquinhos me refazendo, remontando os cacos, um a um, até ter forças novamente de sair de dentro de mim e romper o casulo.

Passada esta etapa, entre resgates e aprendizados, estou pronta para ver o mundo, completamente nova, outra pessoa nascida da redoma mórbida, porém tão necessária. Um outro ser, sóbrio e amadurecido com esta dor, não com as outras, por favor, uma de cada vez! Assim, uma crise me salva, embora pareça estar me matando, me ajuda! Como tantas desgraças que assolam a humanidade, mas que ensinam a compaixão, pois bem, nada é à toa. Agradeço tanto a Deus cada uma das minhas “crises existenciais” e cada um dos meus problemas. Eles me permitiram aprender o mais importante: quem eu sou. No mais, há tanto a ser desvendado e tão pouco é nosso tempo aqui...

Abrindo um parêntese: definitivamente o auto-conhecimento é a chave para tudo, para o primeiro passo em direção ao Dharma de cada um, que é a natureza de cada um de nós, nosso caminho no universo. Hoje eu creio que tudo que me ocorreu e a forma com que Deus, ou Brahma, sempre me ajudou a superar é muito Tântrica. Para quem não conhece ou nunca ouviu falar, Tantra literalmente significa “aquilo que liberta da escuridão”. Espiritualmente falando, Tantra é um esforço para desvendar o elo místico entre o finito e o infinito, entre indivíduo e Cosmo. É uma ciência para ser aprendida e praticada, bastante profunda, maravilhosa, que merece bem mais que estas poucas palavras.

Mas eu falava sobre meu novo nascimento, sim, é como eu me sinto, nascendo em um novo momento, pronta para enfrentar o que me impede o caminhar, segura para prosseguir e escalar o muro que me tranca a passagem. Eu demoro, entro em guerra, me parto ao meio, mas finalmente me liberto, como se tivesse tirado muitos e muitos quilos de cima de meus ombros, um peso opressor e insuportável, mas que de repente eu percebo que é quase nada, uma bobagem...

Assim a vida nos leva, por caminhos distintos, uns tortuosos, uns somente belos, cada qual aprendendo aquilo que precisa aprender, recebendo as lições que precisa receber, e aceitando-as, ou não de um jeito bastante particular. Não convém julgar se de um jeito é melhor, se é mais fácil...isso não faz a menor diferença. Importa que a seu tempo e de seu jeito, todos nós iremos receber do universo o que é justo e merecido, seja de ontem, hoje, agora. Vale lembrar que a dor e as dificuldades não devem ser encaradas como um fim, mas um recomeço, como um passo depois de outro passo, e mais um...todos nós já fomos ou somos casulo em algum momento, que bom, significa que estamos criando asas afinal...

Rashmi.
*fotografia Olga Gouveia

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Afinal, a vida é bela!



Estava eu a passear por um blog, que eu adoro -www.corposolto.blogspot.com - e li sobre as pessoas que reclamam...tão interessante ver um pouco de mim ali no texto...é, eu reclamo bastante rsrsrs.

Mas depois pensei um pouco mais: ops, eu sou mais feliz do que eu achava que era!! Por quê??? Acabei de me lembrar que eu consigo ser feliz no ônibus!!! Pois então, não disse?
Muitas coisas têm sido bem difíceis sim, esta vida não está para brincadeiras. Ela nos dá voltas e empurra a gente pra cá e pra lá até que acabamos amadurecendo assim, um pouco na marra, mas sempre tão necessariamente...

Eu reclamo, brigo, fico chateadíssima com as coisas do mundo, do meu Brasil, com as injustiças, e me dói até hoje e sempre, passar na rua e ver crianças ou mães com crianças ali, jogados, sem terem atendidas as mínimas necessidades...fico desolada. Mas também sou do tipo que faço...não que eu tenha feito algo grande, mas as pequenas coisas fazem diferença. Procuro nunca esquecer o que disse Buda: "seja você o exemplo que deseja para o mundo". Perfeito! Então vamos à luta, cada um de acordo com as suas possibilidades. Mas e o resto do mundo? Bom, cada um só pode responder por si mesmo não é? Para reclamar, tem que antes pensar no que tem feito de melhor, para si e para o outro. Não adianta fazer como tantas pessoas que cruzam os braços e apontam o dedo em riste a todos os "errados", mas afinal, quem somos para julgar o próximo? O que sabemos dele para dizer se está certo ou não?

Esta vida é tão breve, cada um tem um tempo diferente aqui, não vamos ficar então esperando que a felicidade caia do céu, que ela apareça em momentos grandiosos que nunca chegam...a felicidade não é um ato, mas um ensaio, onde cada pequena coisa, cada pequena observação, cada pequeno gesto pode ser maravilhoso, ou inexpressivo, vai depender da importância que damos a ele.

Eu mesma, como disse antes, sou feliz no ônibus...sério...é só ligar o player, relaxar e pronto...pode demorar uma hora pra chegar em casa que não me preocupo, eu desligo total do mundo e dos problemas...me concentro na música, que é minha passagem secreta...e a sua qual é? Que tal procurar? Deve ser bem mais fácil descobrir o que te faz esquecer da tristeza do que propriamente buscar uma felicidade em cada esquina. No mais, vambora que a vida tá passando.
Questionar: sempre!
Reclamar sem se mexer: é cômodo, e tudo que é cômodo, vicia!!
Namaskar.

Rashmi.




Sobre a honestidade


Belo belo este poema, uma reflexão da Cleide Canton com o final (entre aspas) retirado de um discuro do Rui Barbosa...ai, ai...sobre honestidade, assunto tão abandonado...


Sinto Vergonha de Mim

Sinto vergonha de mim
Por ter sido educadora de parte desse povo,
Por ter batalhado sempre pela justiça,
Por compactuar com a honestidade,
Por primar pela verdade
E por ver este povo já chamado varonil
Enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim
Por ter feito parte de uma era
Que lutou pela democracia,
Pela liberdade de ser
E ter que entregar aos meus filhos,
Simples e abominavelmente
A derrota das virtudes pelos vícios,
A ausência da sensatez
No julgamento da verdade,
A negligência com a família ,
Célula-mater da sociedade,
A demasiada preocupação
Com o "eu" feliz a qualquer custo,
Buscando a tal felicidade
em caminhos eivados de desrespeito
para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim,
Pela passividade em ouvir,
Sem despejar meu verbo,
A tantas desculpas ditadas
Pelo orgulho e vaidade
Para reconhecer um erro cometido
A tantos floreios para justificar
Atos criminosos
A tanta relutância
Em esquecer a antiga posição
De sempre "contestar",
Voltar atrás
E mudar o futuro.

Tenho vergonha de mim
Pois faço parte de um povo
Que não reconheço, enveredando por caminhos
Que não quero percorrer...

Tenho vergonha da minha impotência,
Da minha falta de garra,
Das minhas desilusões
E do meu cansaço.
Não tenho para onde ir
Pois amo este meu chão,
Vibro ao ouvir meu hino
E jamais usei a minha Bandeira
Para enxugar o meu suor
Ou enrolar meu corpo
Na pecaminosa manifestação
De nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim,
Tenho tanta pena de ti,
Povo brasileiro.

"De tanto ver triunfar as nulidades,
De tanto ver prosperar a desonra,
De tanto ver crescer a injustiça,
De tanto ver agigantarem-se os poderes
Nas mãos dos maus,
O homem chega a desanimar da virtude,
A rir-se da honra,
A ter vergonha de ser honesto".


O poema foi retirado da página do programa Sr. Brasil (maravilhoso) que vai ao ar todos os domingos às 11h na TVE RS, o endereço eletrônico é www.tvcultura.com.br/srbrasil, e ainda no site da autora http://www.paginapoeticadecleidecanton.com/vale mesmo a pena conferir.
A foto é da Eliane Heuser (Vale do Caí -trilhas germânicas) no site http://www.cameraviajante.com.br/

terça-feira, 5 de maio de 2009

Os Homens Ocos - T.S.Eliot


Estava a fim de dividir mais um poema lindo e tão dado a reflexões como esse, com todos os passantes. Espero que sirva para que pensem a vida e a morte, com seu vazio e possibilidades, com os medos, as perdas, a incompreensão diante do mundo cheio de mitos e aparências, a percepção da mediocridade nas relações humanas, a falta de ânimo para lutar, a impotência diante dos problemas, os conflitos entre real e imaginário, sonho e construção da realidade distorcida...enfim, dá pano pra manga...belo, belo.


T.S.Eliot - "A penny for the Old Guy" (Um pêni para o Velho Guy; tradução: Ivan Junqueira)


Os homens ocos


Nós somos os homens ocos
Os homens empalhados
Uns nos outros amparados
O elmo cheio de nada. Ai de nós!
Nossas vozes dessecadas,
Quando juntos sussurramos,
São quietas e inexpressas
Como o vento na relva seca
Ou pés de ratos sobre cacos
Em nossa adega evaporada


Fôrma sem forma, sombra sem cor
Força paralisada, gesto sem vigor;


Aqueles que atravessaram
De olhos retos, para o outro reino da morte
Nos recordam - se o fazem - não como violentas
Almas danadas, mas apenas
Como os homens ocos
Os homens empalhados.


II
Os olhos que temo encontrar em sonhos
No reino de sonho da morte
Estes não aparecem:
Lá, os olhos são como a lâmina
Do sol nos ossos de uma coluna
Lá, uma árvore brande os ramos
E as vozes estão no frêmito
Do vento que está cantando
Mais distantes e solenes
Que uma estrela agonizante.


Que eu demais não me aproxime
Do reino de sonho da morte
Que eu possa trajar ainda
Esses tácitos disfarces
Pele de rato, plumas de corvo, estacas cruzadas
E comportar-me num campo
Como o vento se comporta
Nem mais um passo


- Não este encontro derradeiro
No reino crepuscular


III
Esta é a terra morta
Esta é a terra do cacto
Aqui as imagens de pedra
Estão eretas, aqui recebem elas
A súplica da mão de um morto
Sob o lampejo de uma estrela agonizante.


E nisto consiste
O outro reino da morte:
Despertando sozinhos
À hora em que estamos
Trêmulos de ternura
Os lábios que beijariam
Rezam as pedras quebradas.


IV
Os olhos não estão aqui
Aqui os olhos não brilham
Neste vale de estrelas tíbias
Neste vale desvalido
Esta mandíbula em ruínas de nossos reinos perdidos


Neste último sítio de encontros
Juntos tateamos
Todos à fala esquivos
Reunidos na praia do túrgido rio


Sem nada ver, a não ser
Que os olhos reapareçam
Como a estrela perpétua
Rosa multifoliada
Do reino em sombras da morte
A única esperança
De homens vazios.


V
Aqui rondamos a figueira-brava
Figueira-brava figueira-brava
Aqui rondamos a figueira-brava
Às cinco em ponto da madrugada


Entre a idéia
E a realidade
Entre o movimento
E a ação
Tomba a Sombra
Porque Teu é o Reino


Entre a concepção
E a criação
Entre a emoção
E a reação
Tomba a Sombra
A vida é muito longa


Entre o desejo
E o espasmo
Entre a potência
E a existência
Entre a essência
E a descendência
Tomba a Sombra
Porque Teu é o Reino
Porque Teu é
A vida é
Porque Teu é o


Assim expira o mundo
Assim expira o mundo
Assim expira o mundo
Não com uma explosão, mas com um suspiro.
(Fotografia de Hugo Scott)

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Hoje é o Dia do Planeta!!!



No dia 22 de abril comemora-se o dia do Planeta Terra, iniciativa que pretende despertar a consciência na população de todo o mundo sobre maneiras de colaborar na preservação do meio ambiente através de simples medidas cotidianas. Há 39 anos, no dia 22 de abril de 1970, aconteceu o primeiro protesto em caráter nacional contra a poluição do planeta. O então o Senador norte-americano Gaylord Nelson, na época estudante de Harvard, organizou eventos para discussão e desenvolvimento de projetos sobre o meio ambiente, conhecido como Earth Day. O movimento ganhou, ano após ano, outros países como adeptos, incluindo o Brasil, que uniu-se oficialmente à causa em 1990.

O problema
Grande parte dos 510,3 milhões de m2 do planeta Terra está sendo destruída por nós, humanos, que somos inconsequentes no proveito do meio ambiente. As florestas estão cada vez mais desmatadas, os rios mais poluídos, o ar mais carregado, o céu mais acinzentado. Como consequência disso tudo, vem o aquecimento global, que por sua vez derrete as geleiras, faz com que o nível do mar aumente, ameaça biosfera e contribui para a ploriferação de doenças. Muito esgoto é lançado in natura nas águas, muito lixo é jogado nas ruas e a reciclagem ainda é uma palavra conhecida por poucos. Para amenizar o quadro desolador, existem ONGs, empresas e outras iniciativas públicas e privadas preocupadas em fazer o mínimo que seja para que a Terra saia desta situação. Hoje, há uma estimativa de que 500 milhões de cidadãos em 85 países fazem algo especial pelo ambiente no dia 22 de abril. Não que a mobilização durante um dos 365 dias do ano possa mudar muita coisa, mas já é um passo para desenvolver a sensibilidade ambiental coletiva e tentar salvar o Planeta. Aproveite esta data para colaborar. Economize energia, evite desperdícios e poluição. Cuide do lixo que você produz. Para mantermos o equilíbrio da Terra é necessário ter consciência do que deve ser feito. Se os recursos naturais, essenciais para a sobrevivência humana forem esgotados, não haverá maneira de repô-los. O pensamento global deve implantar as iniciativas locais e pessoais para que cada um comece a fazer a sua parte.


fonte: site Yahoo Brasil.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Consumo Sustentável - Guia de boas práticas





A imensidão do Brasil fez, e ainda faz, muita gente pensar que todos os recursos naturais do nosso País são inesgotáveis. Engano. Um grande engano. Se não abrirmos os olhos e ficarmos bem atentos as nossas atitudes, poderemos sofrer graves prejuízos e ainda comprometer a sobrevivência das gerações futuras. Não é à toa que muita gente – técnicos, especialistas, estudiosos e governos de todas as partes do mundo – está preocupada com o futuro do nosso Planeta. O Ministério do Meio Ambiente - Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável - e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC) colocam o assunto em discussão e dão as dicas para que todos possam iniciar a mudança. Talvez você já tenha ouvido falar de Consumo Sustentável. Mas, se você não sabe o que isso significa, vamos lá:
Consumo Sustentável quer dizer saber usar os recursos naturais para satisfazer as nossas necessidades, sem comprometer as necessidades e aspirações das gerações futuras. Ou seja, vale aquele velho jargão popular: saber usar para nunca faltar. E isso não exige um grande esforço, somente mais atenção com o que está ao nosso redor, no nosso ambiente. Basta fazermos uma pequena reflexão sobre como agimos.
Normalmente, não nos preocupamos com a quantidade de água que utilizamos ao escovar os dentes, quando tomamos banho ou no momento de lavar a louça e o nosso carro. Por absoluta desatenção, ao sairmos de um cômodo não apagamos a luz, ou vamos acendendo todas as lâmpadas, deixando para trás um rastro luminoso. Nem nos tocamos em relação ao consumo de papel, seja em casa ou no escritório estamos sempre desperdiçando papel. Misturamos o lixo doméstico, quando seria muito simples separar os restos de comida do papel, da lata, do vidro, do plástico. No ato da compra, pense! Não leve para casa alimentos em excesso nem faça comida em demasia para depois ter que jogar fora. Resto de alimento é coisa séria. Milhares de pessoas carecem, diariamente, de um prato de comida.Não nos damos conta de que os nossos desperdícios têm impacto no nosso bolso. E, mais grave ainda, nunca paramos para pensar que este comportamento displicente vai acarretar sérias e graves dificuldades para os nossos descendentes. Eles vão ressentir-se da falta dos recursos naturais. Ao mesmo tempo em que estaremos reduzindo ou eliminando o desperdício, vamos economizar muito dinheiro. Quem sabe, não conseguiremos até melhorar a nossa renda mensal, se fizermos pequenas mudanças nas nossas atitudes? Se você acha que é muito trabalhoso, então, preste atenção nessas informações abaixo e perceba o risco que estamos correndo.

Água
Hoje, metade da população mundial (mais de 3 bilhões de pessoas) enfrenta problemas de abastecimento de água. Muitas fontes de água doce estão poluídas ou, simplesmente, secaram. Recife, capital de Pernambuco, em vários períodos do ano é submetida a um racionamento rigoroso, em outros, não tem água mesmo. O racionamento também já chegou à São Paulo, podendo atingir 3 milhões dos 10 milhões de habitantes da capital paulista. Você sabia que 97% da água existente no planeta Terra é salgada (mares e oceanos), 2% formam geleiras inacessíveis e, apenas, 1% é água doce, armazenada em lençóis subterrâneos, rios e lagos? Pois, bem, temos apenas 1% de água, distribuída desigualmente pela Terra para atender a mais de 6 bilhões de pessoas (população mundial).Esse pouquinho de água que nos resta está ameaçado. Isso porque, somente agora estamos nos dando conta dos riscos que representam os esgotos, o lixo, os resíduos de agrotóxicos e industriais.Cada um de nós tem uma parcela de responsabilidade nesse conjunto de coisas. Mas, como não podemos resolver tudo de uma só vez, que tal começarmos a dar a nossa contribuição no dia-a-dia?Você sabe quantos litros de água uma pessoa consome, em média, por dia? Não?São cerca de 250 litros (isto mesmo, 250 litros ou mais): banho, cuidados de higiene, comida, lavagem de louça e roupas, limpeza da casa, plantas e, claro, a água que se bebe.
Dá para viver sem água? Não dá. Então, a saída é fazer um uso racional deste recurso precioso. A água deve ser usada com responsabilidade e parcimônia. Para nós, consumidores, também significa mais dinheiro no bolso. A conta de água no final do mês será menor. O mais importante, no entanto, é termos a consciência de que estamos contribuindo, efetivamente, para reduzir os riscos de matarmos a nossa fonte de vida: a água.

Energia elétrica
O consumo de energia elétrica aumenta a cada ano no Brasil. Em breve, estaremos importando energia elétrica de países vizinhos. O comércio, além de ganhar novos estabelecimentos com alto padrão de consumo (shopping centers, hipermercados), dinamizou suas atividades com a ampliação dos dias e horário de funcionamento. Uma grande parte desse aumento é decorrente do desperdício de energia.Voltamos à questão do desperdício. E é nesse ponto que entra a nossa contribuição. O consumo residencial e comercial representam cerca de 42% do consumo total. No segmento residencial, houve um aumento do uso da eletricidade por incorporação de novos eletrodomésticos. Será que precisamos de todos eles, realmente? Economizar energia, além de fazer bem ao bolso, também contribui para o adiamento da construção de novas hidrelétricas, que causam grandes impactos ambientais ou para diminuição da exploração de recursos naturais não renováveis como o petróleo. Percebe como podemos ajudar?

Lixo
Enquanto a água pode nos faltar, o lixo sobra. É lixo demais e ele sempre aumenta. Aumenta tanto que nem sabemos onde colocá-lo. Essa dificuldade é maior quando associada aos custos para se criar aterros sanitários. A situação torna-se pior quando constatamos que na maioria das cidades brasileiras o lixo é despejado em terrenos baldios ou nos “famosos” e inadequados lixões. Em contraposição a essas práticas, ecologicamente incorretas, vem-se estimulando o uso de métodos alternativos de tratamento como a compostagem e a reciclagem ou, dependo do caso, incineração.A incineração (queima do lixo) é a alternativa menos aceitável. Provoca graves problemas de poluição atmosférica e exige investimentos de grande porte para a construção de incineradores.A compostagem é uma maneira fácil e barata de tratar o lixo orgânico (detritos de cozinha, restos de poda e fragmentos de árvores).A reciclagem é vista pelos governos e defensores da causa ambiental como solução para o lixo inorgânico (plásticos, vidros, metais e papéis). Com a reciclagem é possível reduzir o consumo de matérias-primas, o volume de lixo e a poluição. Tecnicamente, é possível recuperar e reutilizar a maior parte dos materiais que na rotina do dia-a-dia é jogada fora. Latas de alumínio, vidro e papéis, facilmente coletados, estão sendo reciclados em larga escala em muitos países, inclusive no Brasil. Embora seja um processo em crescimento, ainda não é economicamente atrativo para todos os casos. Assim, nos restam as alternativas: evitar produzir lixo, reaproveitar o que for possível e reciclar ao máximo. Como fazer isso? Aqui vai uma boa dica: aproveitar melhor o que compramos, escolhendo produtos com menor quantidade de embalagens ou redescobrir antigos costumes como, por exemplo, a volta das garrafas retornáveis de bebidas (os velhos cascos) ou das sacolas de feira para carregar compras.

Como você pode ajudar a preservar os recursos naturais e economizar dinheiro:

Vazamentos
Os vazamentos podem ser evidentes como uma torneira pingando ou escondidos, no caso de canos furados ou de vaso sanitário. Para esse último, verifique o vazamento jogando cinzas no fundo da privada e observe por alguns minutos. Se houver movimentação da cinza ou se ela sumir, há vazamento. Outra forma de detectá-los é através do hidrômetro (ou relógio de água) da casa: feche todas as torneiras e desligue os aparelhos que usam água (só não feche os registros na parede que alimentam as saídas de água). Anote o número indicado no hidrômetro e confira depois de algumas horas para ver se houve alteração ou observe o círculo existente no meio do medidor (meia-lua, gravatinha, circunferência dentada) para ver se continua girando. Caso haja alteração nos números ou movimento do medidor, há vazamento.

No Banheiro
O chuveiro elétrico é um dos aparelhos que mais consome energia. O ideal é evitar seu uso em horários de maior consumo (de pico): entre 18h e 19h30min e, no horário de verão, entre 19h e 20h30min;
quando o tempo não estiver frio, deixe a chave de temperatura na posição menos quente (morno);
tente limitar seus banhos em aproximadamente 5 minutos. Feche a torneira enquanto se ensaboa;
instale torneiras com aerador (“peneirinhas” ou “telinhas” na saída da água). Ele dá a sensação de maior vazão mas, na verdade, faz exatamente o contrário.
jamais escove os dentes ou faça a barba com a torneira aberta; caso seja viável, instale redutores de vazão em torneiras e chuveiro;
quando construir ou reformar, dê preferência às caixas de descarga no lugar das válvulas;

Na cozinha
Use também o redutor de vazão e torneiras com aeradores;
ao lavar a louça, use uma bacia ou a própria cuba da pia para deixar os pratos e talheres de molho por alguns minutos antes da lavagem. Isso ajuda a soltar a sujeira. Depois, use água corrente somente para enxaguar;
se usar a máquina de lavar louça, ligue-a somente quando estiver com toda sua capacidade preenchida;
para lavar verduras, use também uma bacia para deixá-las de molho (pode ser inclusive com algumas gotas de vinagre ou com solução de hipoclorito), passando-as depois por um pouco de água corrente para terminar de limpá-las;
procure consumir alimentos livres de agrotóxicos. Os agrotóxicos podem causar danos ao meio ambiente e a sua saúde. Dê preferência a produtos orgânicos.

Na Lavanderia (ou área de serviço)
Deixar as roupas de molho por algum tempo antes de lavar também ajuda aqui;
ao esfregar a roupa com sabão use um balde com água que pode ser a mesma do molho e mantenha a torneira do tanque fechada. Água corrente somente no enxágüe!
Use o resto da água com sabão para lavar o seu quintal;
se tiver máquina de lavar, use-a sempre com a carga máxima e tome cuidado com o excesso de sabão para evitar um número maior de enxágües;
caso opte por comprar uma lavadora, prefira as de abertura frontal que gastam menos água que as de abertura superior;
evite utilizar o ferro elétrico quando vários aparelhos estiverem ligados na casa para evitar que a rede elétrica fique sobrecarregada;
habitue-se a juntar a maior quantidade possível de roupas para passá-las de uma só vez;
se o ferro for automático, regule sua temperatura. Passe primeiro as roupas delicadas, que precisam de menos calor. No final, depois de desligá-lo, você ainda pode aproveitar o calor para passar algumas roupas leves.

No quintal, jardim e vasos
Cultive plantas que necessitam de pouca água (bromélias, cactos, pinheiros, violetas) ;
aproveite sempre que possível a água da chuva. Você pode armazená-la em recipientes colocados na saída das calhas e depois usá-la para regar as plantas. Só não se esqueça de tampar esses recipientes para que não se tornem focos de mosquito da dengue!
Para lavar o carro use balde em vez de mangueira;
não regue as plantas em excesso nem nas horas quentes do dia ou em momentos com muito vento. Muita água será evaporada ou levada antes de atingir as raízes;
molhe a base das plantas, não as folhas;
utilize cobertura morta (folhas, palha) sobre a terra de canteiros e jardins. Ela diminui a perda de água;
ao limpar a calçada, use a vassoura, E NÃO ÁGUA para varrer a sujeira! Depois, se quiser, jogue um pouco de água no chão, somente para “baixar a poeira”. Para isso, você pode usar aquela água que sobrou do tanque!

Geladeira/Freezer
Na hora de comprar, leve em conta a eficiência energética certificada pelo selo Procel – Programa de Combate ao Desperdício de Energia Elétrica;
coloque o aparelho em local bem ventilado, evitando a proximidade com o fogão, aquecedores ou áreas expostas ao sol;
no caso de instalação entre armários e paredes, deixe um espaço mínimo de 15 cm dos lados, acima e no fundo do aparelho
Ao utilizar:
evite abrir a porta da geladeira em demasia ou por tempo prolongado;
deixe espaço entre os alimentos e guarde-os de forma que você possa encontrá-los rápida e facilmente;
não guarde alimentos ou líquidos quentes;
não forre as prateleiras com vidros ou plásticos porque dificulta a circulação interna de ar;
faça o descongelamento do freezer periodicamente, conforme as instruções do manual, para evitar que se forme camada com mais de meio centímetro de espessura;
conserve limpas as serpentinas (as grades) que se encontram na parte de trás do aparelho. Não as utilize para secar panos, roupas, etc.
quando você se ausentar de casa por tempo prolongado, o ideal é esvaziar freezer e geladeira e desligá-los.

Lâmpadas
Na hora de comprar, dê preferência a lâmpadas fluorescentes, compactas ou circulares, para a cozinha, área de serviço, garagem e qualquer outro lugar da casa que fique com as luzes acesas por mais de quatro horas por dia. Além de consumir menos energia, essas lâmpadas duram mais que as outras;
evite acender lâmpadas durante o dia. Aproveite melhor a luz do sol, abrindo janelas, cortinas e persianas. Apague as lâmpadas dos ambientes quando estiverem desocupados;
para quem vai pintar a casa, é bom lembrar que tetos e paredes de cores claras refletem melhor a luz, reduzindo a necessidade de luz artificial.

Televisão
Quando ninguém estiver assistindo, desligue o aparelho;
não durma com a televisão ligada. Mas se você se acostumou com isso, uma opção é recorrer ao “timer” (temporizador) para que o aparelho desligue sozinho.

Ar condicionado
Na hora da compra, escolha um modelo adequado ao tamanho do ambiente em que será utilizado. Prefira os aparelhos com controle automático de temperatura e dê preferência às marcas de maior eficiência, segundo o selo Procel;
ao instalá-lo, procure proteger sua parte externa da incidência do sol (mas sem bloquear as grades de ventilação);
quando o aparelho estiver funcionando, mantenha janelas e portas fechadas. Desligue-o quando o ambiente estiver desocupado;
evite o frio excessivo, regulando o termostato;
mantenha limpos os filtros do aparelho para não prejudicar a circulação do ar

Aquecedor (boiler)
Na hora da compra:
escolha um modelo com capacidade adequada as suas necessidades e leve em conta a possibilidade do uso de energia solar;
dê preferência a aparelhos com bom isolamento do tanque e com dispositivo de controle de temperatura.
Ao instalar:
coloque o aquecedor o mais próximo possível dos pontos de consumo;
isole com cuidado as canalizações de água quente;
nunca ligue o aquecedor à rede elétrica sem ter certeza de que ele está cheio de água.
Ao utilizar:
ajuste o termostato de acordo com a temperatura ambiente;
ligue o aquecedor apenas durante o tempo necessário. Se possível, coloque um “timer” para que essa função se torne automática.

Seu Lixo
Não jogue lixo nenhum na rua. Cerca de 40% do lixo recolhido no Rio de Janeiro é proveniente da coleta de rua. Essa coleta é mais cara e, além de enfeiar os lugares, traz sérios problemas aos moradores nas épocas de chuva, com entupimento de bueiros e estrangulamento dos corredores de água;
aproveite integralmente os alimentos. Muitas vezes, talos, folhas, sementes e cascas têm grande valor nutritivo e possibilitam uma boa variação no seu cardápio;
doe livros, roupas, brinquedos e outros bens usados que para você não têm mais serventia, mas que podem ser úteis a outras pessoas;
leve sacola própria para fazer suas compras, evitando pegar as sacolas plásticas fornecidas nos supermercados. Se levar para casa as sacolas, reutilize-as como saco de lixo. Para o transporte de compras maiores, utilize caixas plásticas ou de papelão;
procure comprar produtos reciclados - cadernos, blocos de anotação, envelopes, utilidades de alumínio, ferro, plástico ou vidro;
escolha produtos que utilizem pouca embalagem ou que tenham embalagens reutilizáveis ou recicláveis - potes de sorvete, vidros de maionese, etc;
não jogue lâmpadas, pilhas, baterias de celular, restos de tinta ou produtos químicos no lixo. As empresas que os produzem estão sendo obrigadas por lei a recolher muitos desses produtos;
leve remédios, os que não usa e os vencidos, a um posto de saúde próximo. Eles saberão dar-lhes destino adequado;
separe o lixo e encaminhe os produtos para reciclagem. Tente organizar em seu edifício, rua, bairro ou condomínio um sistema de coleta seletiva. Cada morador separa em sua residência materiais como vidro, plástico, latas de alumínio, papel, papelão e material orgânico, colocando-os em locais próprios. Informe-se nas companhias municipais de limpeza sobre a existência de cooperativas de catadores que poderão fazer a coleta em sua residência. Algumas empresas que fazem reciclagem recolhem, elas mesmas, o lixo já separado;
utilize os dois lados da folha de papel para escrever, rascunhar ou imprimir. Aproveite melhor a área do papel. Para cada tonelada de papel que se recicla quarenta árvores deixam de ser derrubadas;
procure se informar sobre as iniciativas de sua Prefeitura/Comunidade com relação ao lixo reciclável. Todos somos responsáveis pelo destino do lixo que geramos. Cobrar iniciativas e novos projetos de vereadores e prefeitos faz parte do nosso papel de consumidor. Também devemos estar informados das iniciativas já existentes, por mais simples que possam ser. Algumas instituições (igrejas e associações comunitárias) recebem material reciclável e com a venda arrecadam algum dinheiro que é destinado para obras sociais. Já existem empresas que compram esse material e, dependendo da quantidade, retiram-no periodicamente.

Cuidados com a coleta seletiva domiciliar
Papel e Papelão, Jornais e Revistas, Cadernos e Folhas Soltas,Caixas e Embalagens: Devem estar limpos e secos. Caixas devem estar desmontadas. Papel higiênico, papel plastificado, papel de fax ou carbono não deve ser colocado junto a esse material;
Metais (ferrosos e não ferrosos), Latas, Alumínio e Cobre, Pequenas Sucatas: Devem estar limpos;
Vidros, Copos, Garrafas, Potes ou Frascos: Devem estar limpos. Podem ser inteiros ou quebrados. Não coloque vidros planos, cerâmicas ou lâmpadas
Plásticos(todos os tipos), Garrafas, Sacos e Embalagens, Brinquedos, Utensílios Domésticos: Devem estar limpos e sem tampa.


Fonte: Comlurb/Rio de Janeiro-RJ
Essas dicas de boas práticas para o consumo sustentável foram preparadas com o intuito de alterar os nossos velhos hábitos. Faça uso delas no seu cotidiano. Divulgue-as. Você estará dando a sua contribuição para uma melhor qualidade de vida e sobrevivência da nossa espécie no planeta.

Este Guia é resultado de uma parceria entre as instituições:
Ministério do Meio AmbienteSecretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentávele.mail:
sds@mma.gov.br site: www.mma.gov.br
Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC)e.mail: idec@uol.com.br site: www.idec.org.br

terça-feira, 7 de abril de 2009

Chama o síndico!!


Oh céus, que caos, não estou entendendo nada da aula de música. Acho que se mais alguém falar em Si Bemol eu grito!!!!!!!

Pausa...ouvimos Bach - absolutamente "o absoluto" - concerto para 2 violinos em Ré menor 1043 - que tal compor mais de mil hein? O cara era o cara, mudou para sempre a história da música ocidental. Analisamos uma partitura do Gardel, a clássica "por una cabeza", sim, sim, outra maravilha, o que dizer mais além de...nossa que lindo!! Consegui acertar partes do exercício, tipo separar as frases da música, super ultra puxa, sobre o Bach eu consegui identificar na música os andamentos, os cânones, a textura e um pouco de contraponto...de repente a aula voltou a ficar clara, não que eu saiba tudo, mas me achei um pouco...acho que era eu e não ela o problema...não tem jeito, a música me chama, vem vem...

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Pão medieval...


Fui fazer um pão super saudável de cenoura, linhaça e tal...acabou a linhaça, ok, ainda me restavam as cenouras... misturei tudo, com amor, carinho, mantras...sovei e...nada, o pão não se mexia...tempo, tempo, tempo...nada, o pão continuava igualzinho!! Neste caso então me ocorreu dar ouvidos a minha intuição que me disse que talvez o fermento estivesse vencido desde a primeira vez que o vi, mas claro, eu não dei bola, lógico! Elementar meu caro pão, o suspeito de fato foi pego em flagrante, vencido há 11 meses...mas não foi comprado há umas poucas semanas? Sim, mas certas coisas nem Sherlock resolveria se vivesse nesta encarnação, enfim...o pão assou e não me desapontou de todo, apenas ficou baixinho, como aqueles pães que eu sempre vi nos filmes medievais, então agora eu posso dizer que fiz um pão do tipo que foi servido na Santa Ceia, ou, como disse meu marido, o pão da inquisição, credo!
Fotografia de Magda Martins - Caçapava do Sul em www.cameraviajante.com.br

sexta-feira, 3 de abril de 2009