Matisse - Lady on the terrace (1906)

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Eleições 2010 – hipocrisia gratuita, ou melhor, obrigatória!

Advirto aos viajantes que esperam encontrar aqui uma brilhante análise política e politizada sobre este momento tão particular. Grande engano! Este post irá tão somente fazer piada da piada que é a democracia neste país. Não tem nenhuma intenção em oferecer uma outra alternativa, como é hábito meu, nem ser otimista, outro hábito que mantenho em meus textos. Não, não, não... piada, piada e piada. Uma homenagem à palhaçada vista diariamente na TV!


Então tá, cá estou eu para falar do Horário Eleitoral Obrigatório, que é hora certa para dar boas risadas. Aqui em casa ao menos a gente se diverte horrores! Ah mas também se não for assim é bem fácil surtar! Hoje vendo a campanha do Serra fiquei até emocionada ao ouvir pela qüinquagésima vez ele contar que inventou os genéricos, o programa contra a AIDS com a distribuição dos remédios sem custo algum para os portadores da doença, o projeto de ter duas professoras auxiliares em salas de aula do ensino fundamental para ajudar os alunos enquanto a professora titular passa o conteúdo no quadro (ai que incrível), escolas técnicas, um programa de saúde para acabar com as filas nos postos e hospitais e que tratou e trata pessoas com catarata (antes elas não viam o céu, mas agora, graças ao Serra elas voltaram a enxergar!!!). Nossa quanta coisa não?

Ah, esqueci de dizer que foi o Serra que inventou o automóvel, o avião, o relógio, o helicóptero, o papel, a lâmpada, a teoria da relatividade e também foi ele que fez pela primeira vez a pizza como ela é conhecida hoje. Ele participou do projeto do Titanic (se afundou ele não teve culpa!), da Torre Eiffel e fiquei sabendo que inclusive esteve na coordenação da construção das pirâmides do Egito. É ou não é um belo currículo??
O make up da Dilma não muda minha opinião sobre ela e o PT, mas preciso confessar que ela está beeem bonita! Ah mas eu com o personal stilist dela hein??
A Marina Silva aconselhando os trabalhadores miseráveis deste país a investirem na Bolsa de Valores para esquentar a economia do Brasil me deixou muito, mas muito assustada, só não consegue me assustar mais que a grande farsa que é o Partido Verde – que vergonha!
O PC do B que há muito deixou de ser um partido, comunista então, fala sério, não, não tá beleza! Vive à sombra do PT, só parasitando cargos. É triste de ver. Na verdade nestas eleições têm muitos candidatos parasitando. Quase todos mostram imagens suas com o Lula, coisa feia! Detonam o cara mas se aproveitam da popularidade dele para se eleger, credo que baixaria!
Tem aqueles candidatos fascistóides que tem um discurso policialesco, contra os “bandidos e marginais”, nossa, os “bandidos” é que devem ter medo deles, gente mais picareta!

Tem aquele horrível, acho que é o PTC, em que aparece um anjinho – ai pobre do anjo, que coisa é aquela??
E não poderia faltar a tia que diz: “olá, sou a fulana, casada, mãe de 2 filhos....” mas afinal, o que eu tenho a ver com isso?? Coisa mais preconceituosa, tia moralista!

Mas apesar de toda esta lama, em matéria de campanha patética o Serra dispara! O cara inventou tudo. Meu Deus, ele não trabalha com equipes, com grupos das secretarias de saúde, de educação, gente que rala e que nem aparece porque tem um político personalista que rouba ou tenta roubar a cena. Por que ele não fala que apoiou e incentivou as idéias que são de outras pessoas – não dele!

A gente costuma brincar que ele vai reivindicar os genéricos até a morte. É! Vai chegar do lado de lá (porque tem o lado de lá sim) se apresentado: “Olá, eu sou o José Serra, o pai dos genéricos...” até me pergunto se ele não seria o meu pai também?!!
Ah, mas que amolação! O brasileiro já tá acostumado a ouvir mentiras, a ser enganado, a engolir sapos, ok. Mas péra lá, tem limite né!

Mente Serra, mente, mas aprende a mentir bem. Faz como o PT que sabe contar lorotas com a maior verdade do mundo, o Lula é craque! Loteou a Amazônia e é conhecido internacionalmente por ser defensor da ecologia. Até a Copa no Brasil será ecologicamente correta, que tal? Aprende Serra a enganar com mais categoria e dignidade porque assim tá demais, assim não dá!



A imagem é do site http://www.nanihumor.com/ vale à pena dar uma olhada e rir um pouco.


PS: acho que o Serra andou ouvindo uns desaforos porque nesta última semana ele veio com um discurso de que aprimorou as idéias que "não eram dele"... ah finalmente um pouquinho de noção da realidade. Não duvidaria se ele levasse um belo processo por mentir sobre idéias alheias!

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Cinema nacional inteligente para crianças inteligentes

Vou fazer um protesto pacífico sobre a situação do cinema nacional. Meu filho com quase 7 anos já cansou dos 'infantis', mas não pode ver os 'adultos', e aí, o que fazer?
Os filmes infantis que são bons, têm qualidade e conteúdo, têm uma mensagem positiva são direcionados para crianças pequenas (tudo bem que todo mundo olha, mas são feitos com outro objetivo), os que tem temas mais atuais ou fictícios, de ação adolescente, são como bem disse, para adolescentes, com exceção da série Harry Poter que deveria ser vista por todas as idades, eu adoro! Então as crianças que não são pequenininhas, mas também não são adolescentes ficam no limbo, não há filmes bons sendo feitos para elas. Muitos filmes nacionais são ótimos, têm conteúdo, são sociais, políticos, explicativos, poderiam ser passados nas escolas, serem alvo de debates, mas se tornam inviáveis em função das pesadas cenas de sexo e de violência explícita.
Eu entendo que algumas cenas de sexo se justifiquem para mostrar a personalidade dos personagens, a forma como estes entendem o mundo e se relacionam com ele, mas também acho que devem ter outras formas bem mais inteligentes e inteligíveis de se mostrar os traços de determinado personagem ou determinada realidade sem necessariamente ser através do sexo. E assim igualmente para as cenas de violência extrema. Acho que não fazem falta em filme nenhum! É possível criticar de outro jeito!
Quantas produções de guerra, filmes históricos, fazem sucesso sem mostrar sangue, a gente sabe que o fulano levou um tiro, ou sei lá o que, mas não precisa ver ele ser estripado, queimado, violentado, degolado...credo, acho que é exagero, e todo exagero é desnecessário. Como discutir um filme como Tropa de Elite com adolescentes sem que eles se choquem com as cenas de assassinatos cruéis mostradas na produção? Quem perde com isso são os jovens que acabam por não entender o filme direito, muitos inclusive acham que o filme é uma apologia à polícia, que é fascista, e pior, tem aqueles que adoram saber que a polícia mata, que os caras são os "Caras", destemidos, tipo Stallone, no pior estilo Rambo - de volta para o inferno - oh céus, que horror! Mas ainda têm o grupo que mais me assusta, que são aqueles jovens que simplesmente não se chocam mais, e talvez sejam a maioria. Das duas uma: ou sou mesmo uma ingênua incorrigível e pateta ou confirmo minhas convicções de que os valores do mundo estão absolutamente trocados e malucos! Onde já se viu se acostumar com a violência e com a barbárie?
As crianças estão órfãs de cinema bom, de arte boa, em que haja a possibilidade de discussão, de aprendizado, mas sem as cenas demasiado carregadas que temos nas telas. Conheço crianças e jovens que sem nunca terem passado por nenhuma experiência traumática desenvolveram medo de coisas até bobas, que fogem do dito 'normal'. Certamente não sou especialista, mas todas estas crianças moram em lugares onde existe tráfico, tiroteios, assassinatos no meio da rua em plena luz do dia. Coincidência? Duvido! A mente deles é mais delicada que a de um adulto, acaba sofrendo com estes acontecimentos e ao longo do tempo acaba por ver perigo até onde ele não existe, por isso a importância da arte como forma de expurgar as energias negativas e principalmente o stress, para que os traumas e medos possam ser transmutados em energia positiva, elevada. Por isso é bom que o cinema seja educativo, faça amadurecer, faça-os conhecer sua história, entender e criticar, não para que eles conheçam como se pode matar sem ser punido, ou que aprendam formas de matar mais ou menos interessantes, ou ainda aprender a achar que toda essa porcaria é a mais pura realidade e que portanto eles têm que se adaptar e achar que é assim mesmo, que não tem nada que eles possam fazer para mudar. Acho que muitos filmes acabam reforçando certos estereótipos que não deveriam nunca ser tomados por exemplo, que tomam por normal certas atitudes absurdas, que banalizam situações insustentáveis.
Fico pensando, até quando vou ter que ver com meu filho os filmes da Pixar/Disney por falta de opção no cinema de nosso país? Tá certo que adoro quase todos, mas tem uns que não dá pra aguentar, até por que a violência verbal já faz parte destes filmes, as piadas infelizes e as lições tipicamente americanas que muito me irritam também! Por que ninguém no Brasil se interessa em fazer filmes para quem não é grande nem pequeno? Às vezes parece que se faz cinema para a crítica, não para as pessoas comuns, não para quem paga de verdade o cinema neste país!
Fotografia de Dilermando Cabral