Matisse - Lady on the terrace (1906)

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Cinema nacional inteligente para crianças inteligentes

Vou fazer um protesto pacífico sobre a situação do cinema nacional. Meu filho com quase 7 anos já cansou dos 'infantis', mas não pode ver os 'adultos', e aí, o que fazer?
Os filmes infantis que são bons, têm qualidade e conteúdo, têm uma mensagem positiva são direcionados para crianças pequenas (tudo bem que todo mundo olha, mas são feitos com outro objetivo), os que tem temas mais atuais ou fictícios, de ação adolescente, são como bem disse, para adolescentes, com exceção da série Harry Poter que deveria ser vista por todas as idades, eu adoro! Então as crianças que não são pequenininhas, mas também não são adolescentes ficam no limbo, não há filmes bons sendo feitos para elas. Muitos filmes nacionais são ótimos, têm conteúdo, são sociais, políticos, explicativos, poderiam ser passados nas escolas, serem alvo de debates, mas se tornam inviáveis em função das pesadas cenas de sexo e de violência explícita.
Eu entendo que algumas cenas de sexo se justifiquem para mostrar a personalidade dos personagens, a forma como estes entendem o mundo e se relacionam com ele, mas também acho que devem ter outras formas bem mais inteligentes e inteligíveis de se mostrar os traços de determinado personagem ou determinada realidade sem necessariamente ser através do sexo. E assim igualmente para as cenas de violência extrema. Acho que não fazem falta em filme nenhum! É possível criticar de outro jeito!
Quantas produções de guerra, filmes históricos, fazem sucesso sem mostrar sangue, a gente sabe que o fulano levou um tiro, ou sei lá o que, mas não precisa ver ele ser estripado, queimado, violentado, degolado...credo, acho que é exagero, e todo exagero é desnecessário. Como discutir um filme como Tropa de Elite com adolescentes sem que eles se choquem com as cenas de assassinatos cruéis mostradas na produção? Quem perde com isso são os jovens que acabam por não entender o filme direito, muitos inclusive acham que o filme é uma apologia à polícia, que é fascista, e pior, tem aqueles que adoram saber que a polícia mata, que os caras são os "Caras", destemidos, tipo Stallone, no pior estilo Rambo - de volta para o inferno - oh céus, que horror! Mas ainda têm o grupo que mais me assusta, que são aqueles jovens que simplesmente não se chocam mais, e talvez sejam a maioria. Das duas uma: ou sou mesmo uma ingênua incorrigível e pateta ou confirmo minhas convicções de que os valores do mundo estão absolutamente trocados e malucos! Onde já se viu se acostumar com a violência e com a barbárie?
As crianças estão órfãs de cinema bom, de arte boa, em que haja a possibilidade de discussão, de aprendizado, mas sem as cenas demasiado carregadas que temos nas telas. Conheço crianças e jovens que sem nunca terem passado por nenhuma experiência traumática desenvolveram medo de coisas até bobas, que fogem do dito 'normal'. Certamente não sou especialista, mas todas estas crianças moram em lugares onde existe tráfico, tiroteios, assassinatos no meio da rua em plena luz do dia. Coincidência? Duvido! A mente deles é mais delicada que a de um adulto, acaba sofrendo com estes acontecimentos e ao longo do tempo acaba por ver perigo até onde ele não existe, por isso a importância da arte como forma de expurgar as energias negativas e principalmente o stress, para que os traumas e medos possam ser transmutados em energia positiva, elevada. Por isso é bom que o cinema seja educativo, faça amadurecer, faça-os conhecer sua história, entender e criticar, não para que eles conheçam como se pode matar sem ser punido, ou que aprendam formas de matar mais ou menos interessantes, ou ainda aprender a achar que toda essa porcaria é a mais pura realidade e que portanto eles têm que se adaptar e achar que é assim mesmo, que não tem nada que eles possam fazer para mudar. Acho que muitos filmes acabam reforçando certos estereótipos que não deveriam nunca ser tomados por exemplo, que tomam por normal certas atitudes absurdas, que banalizam situações insustentáveis.
Fico pensando, até quando vou ter que ver com meu filho os filmes da Pixar/Disney por falta de opção no cinema de nosso país? Tá certo que adoro quase todos, mas tem uns que não dá pra aguentar, até por que a violência verbal já faz parte destes filmes, as piadas infelizes e as lições tipicamente americanas que muito me irritam também! Por que ninguém no Brasil se interessa em fazer filmes para quem não é grande nem pequeno? Às vezes parece que se faz cinema para a crítica, não para as pessoas comuns, não para quem paga de verdade o cinema neste país!
Fotografia de Dilermando Cabral

Um comentário:

  1. Parabéns pelo comentário, com o qual concordo plenamente. Cinema nacional é uma necessidade primária para qualquer idade (ainda mais para esta faixa etária), ali a gente se vê e revê como país. Muito interessante teu blog!

    ResponderExcluir

Olá! Obrigada por frequentar este Mafuá, mas peço-lhe, caso pretenda copiar algum texto ou imagem, por favor faça a devida referência. Namaskar!!